(45) 3277 2722 // 3252 5991
Avenida Egydio Geronymo Munaretto, 3601
Jd. Panorama - CEP 85910-320 - Toledo - PR

Representantes do agronegócio comemoraram o anúncio feito pelo presidente da República, Michel Temer, do Plano Agrícola e Pecuário 2017/2018 com o maior volume de recursos da história para financiar o setor no País. São R$ 190,25 bilhões em crédito rural destinados a médios e grandes produtores.

Crescimento
Principal responsável pelo desempenho positivo da economia brasileira no primeiro semestre do ano, a agricultura registrou um aumento de 13,4% no Produto Interno Bruto (PIB). Na visão do presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins da Silva Junior, o anúncio do presidente Temer mostra a importância do setor para a retomada do crescimento.
“Temos certeza absoluta que esse governo fará tudo o que for necessário para dar aos produtores dentro do possível para a gente plantar uma excelente safra para em 2017/2018 termos novamente quebra de recorde”, pontua.
Máquinas e equipamentos
Os recursos do Plano Safra são também responsáveis por alavancar a produção de máquinas e equipamentos no País. É o que destaca o presidente do conselho de administração da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), João Carlos Marchezan.
“Tem um impacto muito grande na economia neste momento em que estamos voltando ao crescimento econômico. Tem um impacto em toda a cadeia do agronegócio, em toda a cadeia de máquinas, em toda a cadeia de transporte. Isso para o Brasil é uma alavancagem que vamos dar no crescimento econômico”, declara.
Redução de juros
Além do aumento no volume de crédito, a taxa de juros das operações foi reduzida em um ponto percentual ao ano nas linhas de custeio e dois pontos percentuais nos programas prioritários voltados à armazenagem e à inovação tecnológica na agricultura (Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica na Produção Agropecuária/Inovagro – 6,5% a.a.).
“Isso dá ao produtor a segurança dele viabilizar sua produção comprando seus insumos, tanto de fertilizantes, quanto de sementes, quanto de defensiva agrícola e também nos investimentos”, afirmou o secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Neri Geller.
Fonte: Portal Planalto