(45) 3277 2722 // 3252 5991
Avenida Egydio Geronymo Munaretto, 3601
Jd. Panorama - CEP 85910-320 - Toledo - PR

A acidose ruminal é uma doença decorrente da ingestão excessiva de carboidratos, que provoca uma grande produção de ácidos no rúmen.  Em vacas leiteiras esse é um problema que pode trazer grandes prejuízos e provocar a morte, se o animal não for tratado a tempo.

A acidose ruminal pode ser aguda e subaguda. A aguda é mais grave porque atinge com força e rapidamente. Já a subaguda é menos intensa, e pode ser crônica, principalmente para o gado confinado.

Animais em confinamento são os mais suscetíveis a essa doença por causa da alta ingestão de milho, trigo, sorgo, ração e arroz (grãos), bem como frutas. Estima-se que 10% a 15% dos animais em confinamento apresentam a acidose ruminal.

Animais doentes deixam de comer por um ou dois dias e apresentam quadro de diarreia osmótica nos casos leves. Já nos casos mais graves ocorre também taquicardia, desidratação severa, além de depressão do estado geral, o que demanda um tratamento mais intenso para a recuperação completa do animal.

A forma mais eficiente de controle da acidose ruminal é a prevenção, que se dá através do manejo correto do animal e de uma alimentação adequada. Normalmente a doença acomete muitos animais ao mesmo tempo, por isso o tratamento é difícil.

Caso a doença já tenha atacado o rebanho a dica é procurar imediatamente um médico veterinário para saber qual medicamento utilizar.