(45) 3277 2722 // 3252 5991
Avenida Egydio Geronymo Munaretto, 3601
Jd. Panorama - CEP 85910-320 - Toledo - PR
“Eucalipto, milho e pastagem podem ser cultivados em consórcio, o que resulta em maior eficiência e rentabilidade na produção, além de menor impacto ambiental. Trata-se do sistema lavoura-pecuária-floresta (ILPF), que garante maior sustentabilidade para as atividades da propriedade rural”, afirmam Lino Roberto Ferreira e Silvio Nolasco de Oliveira Neto, professores do Curso a Distância CPT de Integração Lavoura, Pecuária e Eucalipto.

Além disso, o sistema reduz os efeitos do calor no rebanho – principalmente neste verão de calor intenso, no qual nos encontramos. É importante destacar que temperaturas elevadas causam impacto negativo na performance  produtiva e reprodutiva do gado de corte e gado leiteiro. Por isso, recomenda-se a adoção do ILPF, que integra pecuária bovina à lavoura e ao plantio de árvores.  

Na verdade, as árvores garantem um ambiente com temperatura mais amena, além de sombra para o rebanho. Como resultado, a temperatura corporal dos bovinos é significativamente reduzida. Segundo Alexandre Rossetto Garcia, pesquisador da Embrapa, em dias muito quentes, quando está no pasto, o gado busca locais sombreados para se alimentar. Aí entra o papel das árvores, que proporcionam sombreamento nas áreas de pastagem.

Como dissemos, os efeitos do calor excessivo no rebanho geram prejuízos ao pecuarista. No caso do gado leiteiro, quando a temperatura corpórea dos animais aumenta muito, seu organismo produz cortisol (hormônio do estresse) em excesso, o que afeta diretamente sua produtividade. Além disso, os animais bebem mais água para equilibrar a temperatura do corpo, o que aumenta a sudorese e a eliminação de sais minerais essenciais à produção de leite. Não somente isso pode ocorrer, como também sérios prejuízos em relação à reprodução do rebanho. O calor extremo eleva a temperatura corpórea do touro reprodutor. Como consequência, a temperatura interna dos testículos aumenta, o que reduz o volume do sêmen e afeta a sua qualidade. O impacto do calor também altera o desempenho reprodutivo das fêmeas.

Para evitar todos esses prejuízos, o pecuarista deve adotar o sistema ILPF, que permite o desenvolvimento de várias atividades na propriedade, garante o conforto e bem-estar animal, além de assegurar maior rentabilidade aos negócios. Não podemos nos esquecer de que o sistema de integração também é vantajoso ao meio ambiente, pois ajuda na retenção de água pelo solo, entre outros benefícios.

Fonte: Canal Rural