(45) 3277 2722 // 3252 5991
Avenida Egydio Geronymo Munaretto, 3601
Jd. Panorama - CEP 85910-320 - Toledo - PR

Há mais de um século o Rio Grande do Sul produz um tipo de queijo artesanal de leite cru. É o queijo colonial originário de uma receita trazida da Itália pelos primeiros imigrantes que chegaram ao solo gaúcho. A receita foi passando de mãe para filha e conquistou os moradores daquele estado.
Hoje o queijo colonial é produzido principalmente nos estados do Sul do Brasil.
Veja a receita que os bisavós italianos da dona Ida Canova trouxeram para o Brasil:
Se a ordenha não render os 10 litros, acumule o leite de dois ou três dias e conserve-o refrigerado; quando assim, mais frio, sua gordura pode começar a ser retirada. Use a medida do coalho de acordo com o recomendado pelo fabricante dissolvendo-o em um pouco de água morna. Aqueça o leite à temperatura de 36º graus e adicione o coalho. Mexa bem para que o coalho fique distribuído.
Coloque o sal (no queijo gaúcho vai pouco sal) e deixe-o repousar até que atinja o ponto (bem coagulado). Mexa bem o leite coagulado e deixe-o descansar até que ele decante (a massa ficará no fundo do balde ou panela).
Retire a massa e coloque-a em uma forma. Aperte com as mãos para retirar o soro. Deixe-o na forma no mínimo 24 horas; após este período retire-o e espere maturar.
Se o volume de leite for suficiente (10 litros ou mais) recomenda-se que se use à temperatura da vaca ao ordenhá-la. Coe então o leite e faça o queijo seguindo o método acima. Bom apetite!